domingo, 5 de setembro de 2010

OLHEIRAS

Quem é que não detesta as tão temidas olheiras? Características de uma grande parcela da população, as elas além de denunciarem uma noite mal dormida, podem ter outras origens que nada tem a ver com o sono. Podem ocorrer tanto por fatores genéticos, familiares ou externos, como estresse físico e mental. Mas com o avanço da medicina e tecnologia, hoje já é possível solucionar esse problema.
O tratamento dermatológico da hiperpigmentação periorbital - nome científico das populares olheiras - é feito de diversas maneiras, dependendo das características de cada paciente, assim como a eficácia também varia de pessoa para pessoa e somente uma consulta médica pode avaliar qual o procedimento mais indicado.
De acordo com Flávia Addor, dermatologista membro da de Dermatologia - regional de São Paulo (SBD-RESP), atualmente, entre as técnicas mais desenvolvidas para remoção das olheiras está a aplicação do laser fracionado, que possibilita um tempo de recuperação menor e, para casos mais leves, produtos com ingredientes capazes de atuar na remoção dos pigmentos locais. "Os lasers fracionados são indicados para o rejuvenescimento, melhorando a espessura dérmica e reduzindo a aparência das olheiras. A luz intensa pulsada, assim como o laser para vasos, é utilizada, bem como preenchedores, todos com o objetivo de manter a pele menos fina e os vasos menos aparentes", explica a médica.
No processo de envelhecimento da pele, as olheiras tornam-se mais evidentes com a perda de tônus e de gordura subcutânea. "O sol também contribui para agravamento do quadro em pessoas propensas ao escurecimento da pele, sem contar com o efeito cumulativo que a excessiva exposição aos raios solares, sem a devida proteção, pode causar", completa a Solange Teixeira, também membro da SBD-regional São Paulo.
Para amenizar o problema, a Solange Teixeira apresenta alguns cuidados que devem ser seguidos por qualquer pessoa: "evitar as condições de estresse e tensão, dormir adequadamente, evitar consumo excessivo de álcool, fumo e bebidas cafeinadas, além de tratar eventuais alergias e rinite para prevenção da congestão vascular".
O uso de protetores solares, além de cuidados com a região ocular como evitar fricção local, irritações e dermatites, também são indicações importantes feitas pela médica.
"Atualmente há muitos equipamentos e produtos disponíveis, todos altamente eficazes, mas sempre é necessário consultar um dermatologista. Apenas um profissional qualificado poderá identificar os fatores desencadeantes em cada caso individualmente, indicar os tratamentos mais adequados e diagnosticar outras doenças como alergias e rinite - que podem ser as causadoras ou agravantes das olheiras - para que possam ser também tratadas adequadamente", conclui a especialista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário